http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/93e048c28deae8015adbfe8c96fbefa9.jpg


Promoções

http://vinhoegastronomia.com.br/userfiles/9ce78af553ac45b1e122fb7721139e18.jpg




Enoblogs - blogs unidos pelo vinho


Monte do Álamo: o Alentejo jovem

Por Guto Martinez

Nas mais belas planícies alentejanas, ao redor de S. Miguel de Machede, a família Noronha Mendes de Almeida cuida de uma propriedade de 1.000 hectares há mais de 30 anos, mas foi em 2001 que surgiu um projeto de entregar o que de melhor o Alentejo oferece ao mundo, com a vinícola Monte do Álamo.


 

Embora seja um projeto jovem, o vinho não é estranho à região: desde 1935 há havia uma adega na propriedade, embora esta tenha sido abandonada durante a Revolução de 1974, levando a um grande trabalho de reconversão das vinhas que durou até o ano 2000. A parcela da propriedade dedicada às vinhas é de 35 hectares, nos quais o enólogo alentejano Filipe Sevinate Pinto trabalha com a família Noronha Mendes de Almeida na busca pela excelência, sem abandonar a regionalidade.

 

 

O jovem projeto já começou a conquistar uma respeitável reputação por seus vinhos, dado o grande caráter regional e a excepcional relação qualidade/preço. A qualidade vem principalmente de uma escolha do produtor, que cultiva apenas castas nacionais e com boa adaptabilidade na região, como Trincadeira, Aragonês, Alfrocheiro e Tinta Caiada, que são a base para os tintos. Entre as variedades brancas, encontram-se Arinto, Rabo de ovelha, Roupeiro e Tamarez, que dão origem a vinhos macios e repletos de notas de frutas maduras e com um delicioso toque cremoso no palato.

 

 

O trabalho é árduo, pois a região apresenta dificuldades próprias, que acabam se tornando vantagem quando o resultado final é provado: as dificuldades hídricas dos últimos anos, somada ao calor alentejano, acabou por permitir uma maturação adiantada das uvas, e as colheitas de 2014 a 2017 foram todas excelentes à vinícola, o que mostra a adaptação do produtor às condições instáveis.

 

 

A vinícola segue o princípio de fazer vinhos com características próprias, com castas nacionais, sem se render ao imediatismo das uvas francesas ou aos produtos "do momento". O trabalho pode ser maior, mas o resultado é o mais autêntico possível, e a um valor que permite a todos os enófilos conhecerem o trabalho da vinícola.

 

 

As recentes inovações do Alentejo são bem visíveis nos vinhos da Monte do Álamo: vinhos de categoria internacional, mas sem perder a tipicidade regional.

 

 

Notas de Degustação

 

Plateia Branco 2016

70% Verdelho e 30% Antão Vaz, destaque para frescor e mineralidade nos aromas, e em boca apresenta uma boa estrutura, com notável untuosidade. Um excelente aperitivo.

Preço: US$  17,90

 

ETC. Branco 2016

60% Arinto, 30% Roupeiro e 10% Antão Vaz. Mostra uma nota tropical com mineralidade, tem persistência e presença marcante, com a boca bastante saborosa. Gastronômico, é ótimo para acompanhar pratos à base de peixes.

Preço: US$ 25,50

 

Plateia Tinto 2015

60% Aragonês, 35% Tinta Caiada e 5% Trincadeira. Frutas negras predominam no nariz, com taninos sedosos na boca e uma acidez bastante adequada. Mostra uma excelente versatilidade, e transmite bem o calor alentejano desde o nariz até a boca.

Preço: US$ 17,90

 

ETC. Tinto 2015

50% Aragonês, 30% Alfrocheiro, 10% Trincadeira e 10% Tinta Caiada. Intenso em todas as características, desde a coloração ao nariz e paladar, tem frutas maduras (amoras) no nariz com uma nota de tostado que vem do próprio vinho, que passa parcialmente por madeira de segundo e terceiro uso. Acidez elevada, que fazem deste um vinho ótimo para harmonizar ou apenas degustar. Uma ótima opção na sua faixa de preço!

Preço: US$ 25,50

 

 

Monte da Guiça Tinto 2015

60% Alfrocheiro e 40% Tinta Caiada, passa por 4 meses em carvalho francês, o nome é uma homenagem à  matriarca da família (chamada Graça ou "Guiça"). Uma deliciosa mistura elegante de frutas vermelhas com chocolate e especiarias no nariz, com uma nota de tabaco bem discreta. Boca bem aveludada e vibrante, com persistência prolongada e final muito saboroso, com frutas bem maduras. No concurso "Mundus Vini", entre mais de 8 mil rótulos, este foi medalha de prata, um excelente indicador do caminho correto traçado pelo produtor.

Preço: US$ 38,50

 

Vinha da Guiça Reserva Tinto 2015

70% Alicante Bouschet e 30% Alfrocheiro. Passa 12 meses em barricas francesas novas e mais 6 meses de repouso nas Caves do Monte após engarrafado. Mostra grande complexidade, com frutas maduras e especiarias bem integradas, aromas mais evoluídos, balsâmico, nota mentolada. Em boca, traz muita vivacidade, acidez gastronômica, taninos marcantes mas bem arredondados, persistência excelente e muita pujança. Mostra um bom potencial de envelhecimento, o que indica um vinho muito bem feito. Também pode ser bebido agora, já que é, sem dúvida, delicioso! 

Preço: US$ 59,90

 

A importação e venda é feita pela Vinci, que possui e-commerce em seu site (www.vinci.com.br).





Sobre o vinho e gastronomia Anúncie Segurança e Privacidade Trabalhe na V&G Comunicar Erros Redes Sociais Fale Conosco